Princípios vitais eternos na família –

Já escrevemos e falamos bastante sobre a importância e a necessidade de princípios e valores na família. Hoje queremos abordar o tema “Princípios vitais eternos”, que quer dizer normas e valores que são indispensáveis, indiscutíveis e eternos (insubstituíveis) para a constituição de um lar, uma família bíblica e sólida.

Pela Bíblia o primeiro princípio vital eterno de um lar ou família chama-se CASAMENTO. Todas as famílias começam com um casamento, onde duas pessoas que se amam decidem unir-se com a benção de Deus e constituir uma família. “Por isso, deixa o homem pai e mãe e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne” (Gn 2. 24). Este plano é claro. Um homem ligado a uma mulher. Milhares de anos mais tarde, Jesus afirmou que este ainda é o plano de Deus. Ele citou este versículo e acrescentou: “Portanto, o que Deus ajuntou não o separe o homem” (Mt 19.6). Sendo assim o casamento é uma relação para toda a vida. Somente a morte deve cortar este laço (Rm 7.1-3). Deus aprovou as relações sexuais somente dentro do casamento. Não há nada de mal ou impuro sobre as relações sexuais dentro de um casamento aprovado por Deus (Hb 13.4). Esposos e esposas têm a responsabilidade de satisfazer os desejos sexuais (dados por Deus) aos seus companheiros (1 Co 7. 1-5). Todas as outras relações sexuais são sempre e absolutamente erradas.

O segundo princípio vital eterno são OS FILHOS. Casais assim unidos diante de Deus pelo casamento desfrutam o privilégio de terem filhos. Deus ordenou a Adão e Eva e aos filhos de Noé que tivessem filhos (Gn 1. 28; 9. 1). Mesmo sabendo que nem todas as pessoas vão se casar ou vão ter filhos, o plano básico de Deus é este: Que filhos nasçam dentro de famílias completas com pai e mãe. “Portanto, aconselho que as viúvas mais jovens se casem, tenham filhos, administrem suas casas e não deem ao inimigo nenhum motivo para maledicência.” (I Tm 5. 14) Em nenhum texto da Bíblia encontramos autorização para uma mulher ter relações sexuais para conceber um filho, antes ou sem casamento. Me parece que a sociedade tem feito vistas grossas para este fato alarmante, muitos filhos nascendo sem pai e fora de uma família completa, estas consequências veremos na próxima geração de filhos sem pais!

O terceiro princípio vital eterno é CADA UM TEM SEU PAPEL.  A responsabilidade dos esposos é bem clara: “Maridos, amai vossa mulher, como também Cristo amou a Igreja e a si mesmo se entregou por ela”. (Ef 5.25) A função do esposo é colocar as necessidades de sua esposa acima das suas próprias, mostrando devoção respeito e cuidado, pois ela é a “parte mais frágil” que necessita da sua proteção. Ele tem que prover as necessidades de sua família (1 Tm 5. 8). Os pais tem a função de instruir seus filhos dentro de alguns princípios vitais (Ef 6.4). Este trabalho é sério e, às vezes, difícil, mas com resultados eternos! Primeiramente o Pai precisará andar na disciplina e no conselho do Senhor para depois poder ensinar seus filhos a andarem assim! Os espíritos de seus filhos existirão eternamente, ou na presença de Deus ou separados dele. A maior meta de um pai para seus filhos deveria sempre ser a salvação eterna deles. As mulheres tem um papel muito desafiador e muito importante no plano de Deus para a família, ela precisa auxiliar complementar e submeter-se a seu esposo. É sabido que esta expressão “submissa” soa muito mal nos nossos dias, porém cabe às famílias cristãs resgatar este princípio de respeito e autoridade que o Senhor instituiu desde o início da humanidade. Uma mulher temente a Deus aceita seu papel como aquela que deseja investir em seu esposo e família. Tt 2:5. As mulheres foram instruídas por Deus para mostrarem ternura e afeição aos seus esposos e filhos. Muitas mulheres são desvalorizadas por seus esposos, e isso é lamentável, pois estes deixam de cuidar dos princípios que o Senhor lhes deixou, mas infelizmente muitas mulheres deixam de se valorizar! Apelam para vulgaridade e se deixam levar pelo que as pessoas veem no exterior do que elas têm no interior. Deus honra as mulheres que se dedicam às suas famílias e esposos (Pv 31.11-12). Deus também definiu o papel dos filhos. Paulo revelou em Ef 6:1-2 que os filhos deverão:

  1. Obedecer a seus pais. A posição dos filhos é obedecer e respeitar a autoridade que Deus deu a seus pais. Filhos, cuidado com a rebeldia, pois este é um dos piores pecados; I Samuel 15.23. Também existe outra lista de pecados que se os filhos desonrarem seus pais podem incorrer; II Timóteo 3. 2-5.
  2. Honrar seus pais. Os pais que sustentam, instruem e preparam seus filhos devem ser honrados. Jesus mostrou que esta honra inclui prover as necessidades dos pais idosos (Mateus 15.3-6). Jesus foi um bom exemplo de filho, que honrou seus pais em tudo!

É difícil corrigir anos ou mesmo gerações de erros. Mas está claro que o único modo pelo qual podemos esperar ter boas famílias construídas nos princípios divinos é voltar ao plano que Deus tem revelado. Estudar a Bíblia como o manual do fabricante nos ajudará a aprender estes princípios e nos ajudará a colocá-los em prática, bem como transmiti-los aos nossos filhos e estes aos seus filhos e aos outros. Os benefícios serão eternos e nossa vida familiar será em um lar cercado de amor, cumplicidade e paz que vem da fonte eterna do Senhor. Você está construindo seu lar sobre a fundação da palavra de Deus?

Pastor Ivo Lídio Köhn